Anestesia

A opção de anestesia mais adequada para cada paciente será definida pelo anestesiologista e dependerá de avaliação especializada e personalizada. Não há um tipo mais seguro ou melhor que os outros para todos os pacientes e procedimentos. Cada paciente e cada tipo de cirurgia terá maior benefício com uma determinada técnica de anestesia.

É muito importante o paciente informar a existência de alergias, doenças (mesmo se controladas), medicamentos em uso (inclusive homeopáticos e vitaminas), se é, ou já foi, fumante e se tem hábito de ingerir bebidas alcoólicas ou fazer uso de algum tipo de droga. A omissão de algum destes itens pode ser responsável por problemas durante ou após a cirurgia, e que poderiam ser evitados.

Uma avaliação pré-operatória, que inclui exames laboratoriais, eletrocardiograma e consulta com um cardiologista ou clínico e muitas vezes com anestesiologista, será realizada para pesquisar possíveis fatores de aumento de risco.

Os tipos de anestesia mais usados são:


Local

É aplicada diretamente na área a ser operada. Normalmente é associada à sedação (realizada pelo anestesiologista), com o objetivo maior conforto e segurança para o paciente. Neste caso, o paciente estará dormindo e não perceberá a aplicação do anestésico. A anestesia local pura é indicada em pequenos procedimentos.


Peridural ou Raquianestesia

É realizada com o paciente já em sedação, é aplicada na região da coluna vertebral.


Geral

É feita por via venosa associada a uso de máscara laríngea ou intubação traqueal. Por ter a vantagem de proteger as vias aéreas em relação a aspiração de líquidos (soro, saliva…) durante a cirurgia, é a opção mais usada em Rinoplastias e Ritidoplastias (face). Também costuma ser mais indicada em crianças.