Gluteoplastia de Aumento

A Gluteoplastia de aumento é indicada para dar volume às nádegas, realçando sua forma, contorno e melhorando sua consistência, além de permitir a correção de graus leves de flacidez e queda.

O aumento do glúteo pode ser feito com inclusão de prótese de silicone, desenvolvidas para este fim, ou com o enxerto de gordura da própria paciente (Lipoenxertia ou Lipoescultura).

Normalmente é feita a combinação destes métodos para conferir maior naturalidade ao contorno dos glúteos, mas eles podem também ser realizados isoladamente. A indicação depende de exame personalizado.


Particularidades

O ganho de volumes menores e a melhora do contorno glúteo podem ser obtidos pela Lipoenxertia. Para volumes maiores, é indicada a inclusão das próteses e geralmente a associação de Lipoenxertia para refinamento do resultado e maior naturalidade.

Na Lipoenxertia/Lipoescultura, uma parte da gordura introduzida sofre absorção. Esta perda não pode ser precisamente determinada e, levando este aspecto em consideração, é enxertada uma quantidade um pouco maior de gordura para compensação, sempre que possível.


Cicatrizes

A inclusão das próteses é feita por incisão na porção superior do sulco (dobra) entre as nádegas, ficando disfarçada neste sulco. Mais informações clique aqui.

As próteses são colocadas no plano intramuscular, no meio do músculo glúteo máximo, que é um músculo bastante espesso. Este plano propicia resultados mais naturais e com menor incidência de intercorrências.

O tamanho da prótese a ser usada leva em conta a expectativa da paciente e as características corporais. O objetivo é atingir um resultado o mais natural e harmônico possível e que atenda o desejo da paciente.


Anestesia

Sedação + peridural ou Geral.


Cuidados

  • Para maior conforto, usar roupas largas e confortáveis após a cirurgia.
  • Pode ser indicado o uso de cinta elástica.
  • Após 30 dias, caminhadas leves e esteira devem ser liberadas, dependendo da evolução. Depois de 90 dias os exercícios para os membros inferiores podem ser iniciados progressivamente.
  • Dirigir após 30 dias.
  • Banho: no dia seguinte, sem molhar o curativo inicial. Após a troca do primeiro curativo (1 a 2 dias) é permitido o banho completo.
  • Evitar esforços na primeira semana.
  • Evitar movimentos amplos com os membros inferiores.
  • Dormir de barriga para baixo, com travesseiro sob os tornozelos para evitar distensões nos pés.
  • Não se exponha ao sol por dois meses. Use protetor solar diariamente.

Internação

24 horas.

Para orientações de pré e pós-operatório, clique aqui.