Mamoplastia de Aumento

A Mamoplastia de aumento com inclusão de prótese de silicone dá volume às mamas, realçando sua forma e melhorando sua consistência, além de permitir a correção de graus menores de flacidez e queda.

É indicada para pacientes com mamas pequenas ou que após a amamentação tiveram grande redução do volume mamário. Também é realizada nos casos de mamas assimétricas e na cirurgia reparadora, após tratamento de câncer da mama.

Em alguns casos, quando há maior flacidez, é necessário associar a Mastopexia, quando é retirado o excesso de pele e a mama é reposicionada, sendo incluída a prótese para dar volume.


Particularidades

Contratura capsular: É uma retração exagerada da cápsula fibrosa (que normalmente se forma em torno da prótese), que determina certo grau de endurecimento à região, quando palpada. Pode ocorrer em alguns casos e, quando em grau acentuado, as próteses podem e devem ser retiradas, através das mesmas cicatrizes, em ato cirúrgico simples, sob anestesia local.

A retração da cápsula nunca reflete imperícia do cirurgião, mas sim, um comportamento anômalo do organismo da paciente. Felizmente é rara. As marcas que utilizamos oferecem garantia de contratura e desgaste das próteses por pelo menos 10 anos.

O acompanhamento das próteses é feito juntamente com as avaliações normais das mamas (exame clínico, mamografia ou ultrassom) nas consultas ginecológicas. Enquanto estiverem íntegras e sem alterações significantes de contorno, as próteses podem permanecer no lugar, não há um prazo fixo para troca.

Com a tecnologia das próteses atuais, o prazo de troca tem sido prolongado e é bem superior aos 10 anos, como anteriormente.

Nos primeiros dias após a cirurgia, é comum a sensação de ar se movimentando sob a pele. É normal e chama-se enfisema subcutâneo. Ocorre devido ao ar que entra pela incisão durante a cirurgia. Desaparece em poucos dias.


Cicatrizes

A inclusão das próteses pode ser feita por incisões no sulco (dobra inferior) da mama, na aréola ou na axila. Cada uma com suas vantagens e indicações, dependendo do caso.


O mais frequente é a colocação das próteses em posição subglandular (entre a mama e o músculo peitoral) por permitir um contorno natural e acompanhar a evolução da mama. Em casos específicos, pode ser indicado o plano submuscular (abaixo do músculo peitoral).


O tamanho da prótese será definido levando-se em conta a expectativa da paciente e as características de suas mamas, tórax, altura etc. O objetivo é atingir um resultado o mais natural e harmônico possível e que atenda o desejo da paciente.

A princípio, não há perda de resultados com a gravidez, desde que haja um bom controle de ganho de peso e cuidados com a pele. É possível amamentar normalmente.


Anestesia

Sedação + anestesia local ou peridural.


Cuidados

  • Para maior conforto após a cirurgia, usar blusas largas, com botões na frente.
  • É necessário o uso de sutiã apropriado por 30 dias.
  • Após 15 dias, caminhadas leves, esteira e bicicleta já estão liberadas, assim como a musculação para as pernas. Depois de 30 dias, os exercícios para os braços poderão ser iniciados progressivamente.
  • Dirigir após 10 a 20 dias, dependendo da posição de colocação da prótese.
  • Banho: no dia seguinte sem molhar o curativo inicial. Após a troca do primeiro curativo (1 a 2 dias) é permitido o banho completo.
  • Evitar esforços na primeira semana.
  • Evitar movimentos amplos com os braços.
  • Dormir de barriga para cima, com travesseiro sob os joelhos para relaxar o quadril.
  • Não se exponha ao sol por três meses. Use protetor solar diariamente.

Internação

12 a 24 horas.

Para orientações de pré e pós-operatório, clique aqui.