Ginecomastia

A Ginecomastia é o desenvolvimento das mamas masculinas além do padrão normal, conferindo a elas um aspecto feminino. É uma condição bastante comum e afeta, em diferentes graus, até 50% dos homens.

Pode ser uni ou bilateral e acometer apenas a região da aréola ou toda a mama. Algumas drogas e doenças contribuem para o seu desenvolvimento, mas na maior parte dos casos ocorre sem uma causa específica.


Particularidades

Na adolescência, a ginecomastia frequentemente é motivo de grande constrangimento e pode gerar distúrbios psicológicos aos portadores.

A cirurgia plástica para correção destes casos consiste da retirada do excesso de glândula ou gordura presente na região. Raramente é necessária a retirada de pele. O resultado final é de uma região peitoral mais plana e firme, coerente com a anatomia normal masculina.

A cirurgia pode ser realizada em qualquer idade.

O paciente deve ser submetido a exame clínico pré-operatório para investigação de possíveis causas para o problema, como fatores hormonais, uso de substâncias (medicamentos, drogas, esteroides anabolizantes, etc.) ou até mesmo tumores.


Cicatrizes

Quando a ginecomastia tem um componente predominante glandular, uma incisão de 2 a 3 cm é realizada de preferência ao redor da aréola, em meia lua e inferiormente. A glândula mamária é retirada através deste corte.

Quando o componente da ginecomastia é predominantemente gorduroso, a lipoaspiração na região resolve bem o problema, pois conta, posteriormente, com uma retração de pele, altamente desejável para que se obtenha um bom resultado pós-operatório.

Os pontos são retirados cerca de 7 a 15 dias após a realização da cirurgia. Mais informações clique aqui.


Anestesia

Local (ou Peridural) + sedação. Raramente geral. Duração média de 2 horas, com o paciente podendo retornar à sua residência no mesmo dia da cirurgia.


Internação

12 horas.


Cuidados

  • O paciente deve usar, no pós-operatório, uma cinta elástica compressiva por 30 dias, para diminuição do inchaço e formação de hematomas.
  • Para maior conforto após a cirurgia, usar blusas largas, com botões na frente.
  • Após 10 dias, caminhadas leves, esteira e bicicleta já estão liberadas, assim como a musculação para as pernas. Depois de 30 dias os exercícios para os braços poderão ser iniciados progressivamente.
  • Dirigir após 10 a 20 dias.
  • Estes prazos variam com a evolução de cada caso.
  • Banho: no dia seguinte, sem molhar o curativo inicial. Após a troca do primeiro curativo (1 a 2 dias) é permitido o banho completo.
  • Evitar esforços na primeira semana.
  • Evitar movimentos amplos com os braços.
  • Dormir de barriga para cima, com travesseiro sob os joelhos para relaxar o quadril.
  • Não se exponha ao sol por três meses. Use protetor solar diariamente.

Para orientações de pré e pós-operatório, clique aqui.